Como aprender

Os principais executivos da Marvel estão apaixonados pela Meditação Transcendental

 

Para atingir objetivos e desabafar, os super-heróis da Marvel têm poderes espetaculares à sua disposição, entretanto seus executivos, ocupados com a mecânica monolítica que os cria, são meros mortais e precisam de soluções práticas para administrar o próprio tempo e lidar com a pressão da indústria e dos fãs. Um método popular tem seduzido os seus escritórios em Burbank, na Califórnia: a prática da Meditação Transcendental (MT), que a Variety aprendeu exclusivamente para escrever a matéria de capa desta semana sobre o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige. Sentado no seu escritório não muito iluminado, localizado este mês no estacionamento da Disney, o co-presidente da Marvel, Louis D’Esposito, disse à Variety que procurou sozinho a prática e depois a apresentou para Feige e para Stephen Broussard, vice-presidente de produção e desenvolvimento.  A meditação exige a repetição silenciosa de um mantra para ajudar a se abstrair da rotina diária e produzir foco e relaxamento. “Já temos até uma sala de meditação aqui. Todos receberam a certificação da MT”, disse D’Esposito sobre a suíte executiva, repleta de bustos de Jeff Goldblum em “Thor: Ragnarok”, de máquinas de fliperama, de homens-aranha pendurados, além de um impressionante troféu feito com ternos do Homem de Ferro. Essa revelação configura uma rara visão de uma cultura corporativa de Hollywood, definida por sua política de extremo sigilo, ao mostrar, por exemplo, figuras feitas de ardósia criadas para o que super-heróis apareçam em cenas de bônus após os créditos finais, a fim de provocar o público em relação ao próximo sucesso da Marvel. A prática foi desenvolvida por Maharishi Mahesh Yogi no final dos anos 1960 e tem proliferado a lista de Hollywood ao longo dos anos. Oprah Winfrey, Jerry Seinfeld, George Lucas, David Lynch e muitos outros são seus fãs. Alguns CEOs de tecnologia elogiam sua eficácia para os empreendedores. No ano passado, Ellen DeGeneres dedicou um segmento inteiro de seu programa de TV para a MT.

“Você recebe seu mantra e não pode contá-lo a ninguém. Parte de mim acha que todos nós temos o mesmo mantra”, brincou D’Esposito. Talvez nunca saibamos a sua frase secreta, mas certamente sabemos o volume de trabalho encarado pela empresa: além de encerrar três fases e dez anos de filmes, com a esperada bilheteria “Vingadores: Ultimato”, a Marvel Studios tem projetos futuros, como séries autônomas de streaming para a Disney+ e conteúdo ao vivo e filmado para as próximas atrações da Marvel Land em três parques da Disney ao redor do mundo.

“Ela ajuda a aliviar a pressão que chega até você”, disse D’Esposito sobre a MT. “Nós nos orgulhamos muito do que fazemos e sentimos a mesma pressão em todos os filmes: queremos que seja ótimo, que os fãs gostem e que seja aclamado pela crítica. O que é ótimo sobre [meditação] é que eu me sento por alguns minutos e limpo a minha mente”.

Existe uma exceção: Victoria Alonso, a terceira pessoa no triângulo de liderança da Marvel, vice-presidente executiva de produção, prefere bater as bolas de tênis a entrar em transe com a TM. “Eu preciso suar”, disse Alonso. “Meu domingo na quadra de tênis é uma experiência religiosa para mim.”

Fonte: variety.com