Como aprender

Depressão

A depressão traz infelicidade para milhões de pessoas. E a ciência moderna ainda não compreende plenamente suas causas

A depressão traz infelicidade para milhões de pessoas ao redor do mundo. No entanto, a ciência moderna ainda não compreende plenamente as causas da depressão, nem como ela pode ser aliviada.
Embora existam opiniões diferentes sobre as causas e os mecanismos que a controlam, muitos pesquisadores acreditam que um desequilíbrio nos níveis da serotonina podem afetar o humor de uma pessoa e levá-la à depressão.

Os antidepressivos manipulam artificialmente a serotonina, contudo a Meditação Transcendental a aumenta naturalmente.

A serotonina é chamada de “o hormônio da felicidade”, porém, na verdade, ela é um neurotransmissor.

A serotonina pode se desequilibrar em função de:

– Baixos níveis de sua produção pelas células cerebrais;
– Falta de locais receptores capazes de recebê-la;
– Alguma falha para chegar a seus locais receptores;
– Falta de triptofano, um aminoácido utilizado como “matéria-prima” a partir da qual a serotonina é feita.

Quando um desses fatores bioquímicos ocorre, os pesquisadores acreditam que as consequências sejam a depressão e outros problemas mentais ou emocionais, como ansiedade, pânico, raiva excessiva etc.; consequentemente, o cérebro não mais funciona normalmente, logo um dos efeitos pode ser reduzir a produção de serotonina, o “hormônio da felicidade”, trazendo a infelicidade.

Alguns medicamentos antidepressivos procuram aliviar os sintomas da depressão, regulando artificialmente os níveis de serotonina; ainda que possam influenciar os sintomas, também podem causar efeitos colaterais.

A Meditacão Transcendental ativa o poder de cura do corpo e o funcionamento normal do cérebro é restabelecido novamente

A experiência de transcender ativa o poder de cura do corpo e o funcionamento normal do cérebro que, aos poucos, é restabelecido novamente. Um dos resultados indicados pela pesquisa é o aumento da produção de serotonina, a princípio durante a prática da MT e, como consequência, ao longo do dia também.
Com a prática contínua da Meditação Transcendental, muitos meditantes relatam uma melhora significativa nos sintomas da depressão.

Pesquisas têm mostrado que a experiência da transcendência é poderosa o suficiente para influenciar até mesmo as condições genéticas de depressão clínica.

O antidepressivo traz efeitos colaterais, a Transcendência traz benefícios colaterais.

Quando acendemos a luz, a escuridão desaparece. Todos guardam uma fonte eterna de felicidade dentro de si.
O aumento da serotonina é um sinal objetivo de como estamos conectados à fonte interior de felicidade. No entanto, como os estudos apresentados neste site demonstram, um número considerável de outros campos pode experimentar melhorias: Saúde, Desenvolvimento Cerebral, Autoconfiança, Relacionamentos, Sucesso, dentre outros. A base para a melhoria da vida em geral é nos sentirmos bem conosco.

O efeito da MT na depressão: estudo científico.

Mais de 20 estudos examinaram o efeito da prática da Meditação Transcendental sobre a Depressão.

O Instituto Nacional de Saúde (NIH) do governo dos Estados Unidos é um dos maiores e mais prestigiados institutos de pesquisa em saúde no mundo. Conhecido por suas exigências sobre a qualidade da pesquisa científica, recentemente o NIH apoiou 2 estudos (realizados pela Charles Drew University, em Los Angeles, e pela University of Hawaii, em Kohala, ambas nos Estados Unidos) que analisaram o efeito da Meditação Transcendental na depressão, como parte de uma pesquisa maior sobre o efeito das doenças cardíacas.

Os dois estudos demonstraram uma melhora significativa no grupo que aprendeu a técnica da MT, em comparação com o grupo de controle. A melhora foi maior para aqueles que sofrem da forma mais grave de depressão. Os pacientes clinicamente deprimidos apresentaram, em média, uma redução de 48% em sua depressão. A melhoria mais significativa ocorreu no prazo de 3 meses.

Ref. “Ethnicity & Disease”, v. 17, 2007, p. 72-77; “American Journal of Hypertension”, v. 22, 2009, p. 1326-1331.

Meditação Transcendental em comparação à Psicoterapia

Como a psicoterapia, a administração do estresse tende a trabalhar na superfície as tensões que, muitas vezes, causam a depressão. Como residem em locais mais profundos da mente e do sistema nervoso, somente a administração do estresse, em oposição à experiência da transcendência, pode apresentar um efeito limitado sobre a Depressão.

A administração do estresse trabalha na superfície, contudo a depressão reside em locais mais profundos da mente.

Para testar essa hipótese, um estudo foi realizado em colaboração entre o centro de saúde West Oakland (Califórnia, EUA) e o governo americano, em um instituto de segurança máxima americano, conhecido pelo alto nível de estresse que gera em seus funcionários, os quais foram divididos em 2 grupos: um aprendeu a técnica da Meditação Transcendental e o outro participou de um programa de administração do estresse.

Ambos os grupos tinham as mesmas expectativas e receberam número igual de horas de treinamento com o professor de MT ou com o treinador de administração de estresse. Os pesquisadores que mediram os resultados não sabiam a que grupo pertenciam os participantes.

O grupo da MT apresentou um nível maior de depressão no início da experiência, por acaso, devido à distribuição aleatória, entretanto houve uma melhoria dramática no prazo de 3 meses. O contrário ocorreu com o grupo de administração do estresse, que não apresentou nenhuma melhoria significativa. Após 3 anos, foi realizado um novo estudo e a diferença realmente foi comprovada: o grupo de administração de estresse deteriorou-se significativamente (índices de depressão mais elevados), ao passo que o grupo da MT continuou a melhorar, apesar da exposição a grande quantidade de estresse no trabalho.

Em longo prazo, esses resultados podem ter subestimado os efeitos da MT, já que fazia parte do experimento não oferecer nenhum acompanhamento após 3 meses de programa, nem pelo treinador de estresse nem pelo professor de MT. Parte da estratégia era observar como os funcionários se comportariam caso tivessem que seguir a prática de forma independente. Na realidade, os Centros de Meditação Transcendental hoje oferecem uma orientação posterior e a experiência mostra que os resultados são ainda melhores com acompanhamento regular.

Meditação Transcendental em comparação à administração (gerenciamento) do estresse

Um estudo realizado pela University of Colorado Medical Center, em Denver, nos Estados Unidos, comparou os efeitos da Meditação Transcendental a outras formas de psicoterapia em pacientes que receberam tratamento para estresse traumático.

A MT foi muito mais eficaz que os métodos psicoterapêuticos atuais.

Praticantes da Meditação Transcendental reduziram Depressão, Estresse Pós-Traumático, Ansiedade, Abuso de Álcool e Insônia

Foram estudadas várias áreas de disfunção, incluindo depressão. Após 3 meses, os praticantes da MT apresentaram melhorias significativas em todas as áreas estudadas, sendo elas: Depressão, Distúrbio de Estresse Pós-Traumático, Ansiedade, Distúrbio Emocional, Abuso de Álcool, Insônia e Trauma Familiar.

No entanto, o grupo que fez psicoterapia não apresentou melhora significativa em qualquer área. Se a técnica de Meditação Transcendental pode ser usada para pacientes com sintomas graves de estresse traumático (os pacientes eram veteranos de guerra), talvez seja seguro assumir que é eficaz tratar qualquer pessoa cujos sintomas não são tão graves ou profundamente enraizados.

Medicação e Meditação

Enquanto alguns que sofrem de depressão podem experimentar melhora rápida e significativa, para muitos os efeitos serão graduais. Os benefícios da MT acumulam-se com a prática regular, logo, para aqueles que utilizam medicação, é importante dar tempo fisiológico para o cérebro se normalizar. Os que tomam medicamentos para a depressão, prescritos por médicos, devem continuar com a medicação e a meditação em paralelo. Caso notem redução ou ausência de sintomas, então, devem consultar seu médico sobre a possibilidade da redução gradual do remédio. Não deixe de tomar sua medicação sem consultar o seu médico.

Pesquisas científicas

Diminuição da Depressão em funcionários públicos a longo prazo

Funcionários públicos que praticam Meditação Transcendental há três anos continuam apresentando redução na depressão

Funcionários públicos que praticam o Programa Meditação Transcendental há três anos continuam apresentando redução significativa na depressão, em comparação ao grupo de controle que participou de um programa educacional de gerenciamento de estresse.

Diminuição da Depressão entre funcionários de um projeto de alta segurança governamental.

Funcionários altamente estressados reduziram a depressão após aprenderem a Meditação Transcendental

Funcionários altamente estressados de uma agência governamental de alta segurança exibiram diminuição da depressão após aprender o Programa de Meditação Transcendental, em comparação ao grupo de controle que participou de um programa de educação para gestão de estresse.

Redução da Depressão

Pacientes com problemas de estresse pós-traumático que aprenderam a Meditação Transcendental mostraram redução na depressão

Pacientes com problemas de estresse pós-traumático que aprenderam o Programa de Meditação Transcendental mostraram redução significativa na depressão após quatro meses, em contraste com outros que foram aleatoriamente designados para receber psicoterapia.

Redução da depressão entre estudantes alemães

Um grupo de 99 estudantes alemães foi dividido em 3: um grupo de Meditação Transcendental (MT), um grupo de Treinamento Autogênico (AT) e um grupo controle. Eles foram testados antes e depois das instruções na técnica da MT. Após 7 a 8 semanas, o grupo MT mostrou uma redução significativa na depressão, em oposição ao grupo AT, que não apresentou alteração, e ao grupo controle, que apresentou um ligeiro aumento. Após 16 semanas, a redução acumulada na depressão foi ainda maior em comparação com os dois outros grupos. As melhorias ocorreram também para ansiedade, instabilidade emocional e medo.

Ref. Scientific Research on TM, Collected Papers vol 3, 273, pp. 2049-2053.

Redução da depressão e insônia entre os praticantes de MT na Itália

Um estudo realizado entre 107 praticantes regulares de MT há pelo menos 2 anos apresentou menor número de casos de depressão e de insônia em comparação ao grupo controle.

Ref. “Scientific Research on TM: Collected Papers”, v. 3, 1989, p. 1830-1845.

Redução da Depressão em pacientes na Índia

A 75 pacientes indianos com problemas de saúde para os quais o tratamento médico regular não ofereceu ajuda (33 problemas diferentes) foi ensinada a técnica de Meditação Transcendental; 67 deles continuaram a praticar a técnica regularmente. Em longo prazo, 61 pacientes apresentaram bons resultados, uma melhora significativa ou desaparecimento total do problema, e 24 tiveram resultados muito bons, uma cura completa muito rápida, dramática ou inesperada. Dos 5 pacientes que sofriam de depressão, todos tiveram resultados muito bons, 4 no curto prazo e o 5º em um prazo um pouco maior.

Ref. “Scientific Research on TM: Collected Papers vol 3, 239, pp. 1826-1829”

Médicos respondem sobre Depressão em adultos

Praticamente, passo o dia todo sentado. Como a prática da Meditação Transcendental poderia me ajudar?

Dr. Krag: A técnica da Meditação Transcendental produz o que mais precisamos na vida: equilíbrio. Como tem um efeito “normalizador” saudável, a prática regular da MT leva a uma maior atividade para as pessoas que se tornaram completamente inativas; por outro lado, se a pessoa se tornou ativa demais, a prática conduz a um estilo de vida mais equilibrado. Pela minha experiência, as pessoas que praticam a técnica da MT regularmente têm um nível mais estável de humor e atividade.

Se eu praticar a técnica da Meditação Transcendental, ainda vou precisar tomar antidepressivos?

Dr. Krag: As pessoas que sofrem de depressão e usam medicamentos certamente se beneficiam com a prática da técnica da Meditação Transcendental. Esses benefícios são cumulativos e graduais, portanto não se apresse. Continue com sua medicação e a meditação; depois de um período sem depressão, você poderá consultar seu médico sobre a possibilidade de diminuir ou, inclusive, suspender o medicamento. É recomendável sempre consultar seu médico e não interromper a medicação por conta própria.

Sempre passo por graves crises de depressão. A técnica da Meditação Transcendental pode evitá-las?

Dr. Krag: A Meditação Transcendental tem um efeito de equilíbrio. Embora não possamos afirmar que a MT evitará todas as crises de depressão, as pesquisas comprovam que ela realmente estabiliza o humor e tem um efeito saudável, portanto vale a pena tentar. Conheço pessoas que tiveram uma redução em seus períodos de crise depressiva após aprender a técnica. As pesquisas revelam uma diminuição da depressão com a prática da MT: em um estudo publicado na revista “Aconselhamento e Desenvolvimento”, pacientes que sofreram com problemas de stress pós-traumático e aprenderam a MT tiveram uma redução significativa da depressão após quatro meses de prática, em comparação a outro grupo de pacientes que recebeu apenas tratamento psicoterápico e não teve redução significativa da depressão.

Se fecho os olhos, minha mente está cheia de pensamentos sobre o que tenho de fazer ou sobre problemas que preciso resolver. Como não consigo evitar esses pensamentos, de que maneira eu poderia praticar, com sucesso, a técnica da Meditação Transcendental?

Dr. Krag: Isso não constitui um problema: na prática da Meditação Transcendental, não vamos contra a tendência natural da mente, ou seja, pensar, pois ela atinge níveis cada vez mais refinados de pensamento até se aquietar, o que leva a fisiologia a um repouso muito profundo. É fácil e natural! As pesquisas demonstram que quando as pessoas têm essa experiência de repouso em alerta em uma base diária, elas naturalmente começam a se sentir mais calmas, a ter pensamentos mais claros e a focar melhor nas atividades.

Dr. James Krag é Membro da Associação Americana de Psiquiatria, presidente da Sociedade de Psiquiatria do estado da Virgínia, nos Estados Unidos, e foi presidente da Associação da Comunidade de Psiquiatras da Virgínia durante 4 anos. Atualmente, é Diretor Médico do Liberty Point, um programa de tratamento residencial para adolescentes com problemas psiquiátricos.

Médicos respondem sobre Depressão em adolescentes

Meu filho adolescente tem problemas graves de depressão. A técnica da MT pode ajudar?

Dr. Stixrud: Sabemos que há um componente genético para a depressão, embora o fator genético seja menos importante nesse caso do que para outros distúrbios, como o autismo e o TDAH. O fator genético para a depressão é da ordem de 35 a 50%, o que significa que a maior causa não vem da genética, mas sim da experiência da pessoa, cujo principal culpado é o estresse. Os especialistas descrevem a depressão como um distúrbio de estresse hipotalâmico: a resposta física ao estresse, ou seja, a resposta de luta-ou-fuga fica prejudicada. Por serem extremamente sensíveis, as partes do cérebro que sinalizam as ameaças tornam-se hiperativas. Desse modo, muito antes de ficar deprimida, a criança já se sente estressada, muitas vezes ansiosa, e também acredita que o mundo é mais ameaçador do que realmente é. Ao longo do tempo, a resposta ao estresse fica desgastada e deixa de funcionar apropriadamente. Assim, o mecanismo que deveria proteger a pessoa, na verdade, começa a funcionar contra ela.

Então, é muito importante prevenir a depressão em crianças?

Dr. Stixrud: Um dos especialistas mais renomados do mundo em Saúde Mental da Criança e do Adolescente afirma que a maior prioridade política neste país deveria ser a prevenção de problemas nessa área. Ao prevenir esses problemas na infância e adolescência, conseguiremos prevenir muitos dos problemas de saúde mental nos adultos, pelos quais pagamos um preço enorme em termos de sofrimento humano e de custos com saúde.

Prevenir a depressão significa, em parte, criar um ambiente em que as crianças se sintam seguras, em que sua reação ao stress não deva ser acionada o tempo todo e, também, ajudá-las a aprender a normalizar sua reação ao estresse. Sou, sem dúvida, um dos maiores admiradores do movimento das ESCOLAS LIVRE DE ESTRESSE, porque seu foco é a criação de um ambiente para que os alunos se sintam seguros.

O segundo componente para prevenir a depressão é simplesmente ajudar as crianças e adolescentes a normalizarem seu sistema nervoso, por meio da redução do estresse, de maneira a não terem uma resposta hiperativa ao stress que constantemente as deixa alarmadas contra perigos que não existem ou são muito exagerados. E, claro, a Meditação Transcendental pode ajudar nesse sentido.

Pode haver muitas maneiras de contribuirmos para esse objetivo; considero a Meditação Transcendental capaz de exercer um papel de suma importância na prevenção da depressão em crianças e adolescentes, por ser muito eficaz em criar ambientes familiares e escolares nos quais eles se sintam seguros. A MT ensina às crianças como normalizarem sua própria resposta ao estresse, a fim de que não tenham um sistema hiperativo reagindo a todo tipo de ameaças de forma exagerada.

Você recomenda a técnica da Meditação Transcendental aos seus pacientes?

Dr. Stixrud: Sim, e não sou o único. Um dos maiores especialistas em desenvolvimento do cérebro infantil e em problemas de saúde mental certa vez aconselhou um dos meus jovens pacientes que queria suspender o uso de medicação para a depressão da seguinte maneira: “Você tem minha autorização, desde que faça três coisas: mantenha uma rotina regular, durma bastante e aprenda a meditar.” Ele disse isso porque trabalhava no Instituto Nacional de Saúde, local em que os pesquisadores estudavam a relação entre o stress e a depressão. Ele sabia que, quando as pessoas ficam deprimidas, há um desequilíbrio nos hormônios do estresse, cuja prevenção pode ocorrer caso se normalize a resposta ao stress. Praticar a Meditação Transcendental duas vezes ao dia ajuda os jovens a construírem uma ordenação, uma estrutura e uma rotina diária, com o objetivo de permitir que seu sistema nervoso funcione melhor.

A depressão em crianças é um problema generalizado?

Dr. Stixrud: Sim, e um dos fatores mais preocupantes é saber qual o número de jovens afetados por ela. Ainda não há um consenso, mas muitos profissionais dessa área acreditam que estamos vivendo uma epidemia de depressão. Praticamente todos concordam que, há uma ou duas gerações, a média de idade de início da depressão era de 34 ou 35 anos; hoje, a média chegou a 14 anos de idade.

Os pesquisadores afirmam que a depressão deixa marcas no cérebro e, ainda que os adolescentes sejam tratados e melhorem, são mais pessimistas e têm mais dificuldade para dormir do que antes, o que os coloca em risco de caírem em depressão novamente. Assim, toda vez que uma pessoa fica deprimida, é provável que ela tenha uma vida de depressão, por isso que os especialistas apontam que a maior prioridade deveria ser a prevenção de problemas de saúde mental em adolescentes.

Mais do que nunca, parece haver mais pressão sobre os jovens.

Dr. Stixrud: Conheci um garoto de 10 anos de idade com TDAH, muito hiperativo, mas também irreprimível, encantador, muito divertido, extremamente inteligente e simpático. Só o reencontrei novamente aos 16 anos, tomando antidepressivos. Perguntei: “O que aconteceu com você?” e ele respondeu: “Bem, todos costumavam me chamar de ‘menino antiaderente’, porque nada me perturbava e sempre estava de bom humor. Então, entrei no colegial e não dormia o suficiente, porque queria assistir aos jogos de futebol e passei a ficar acordado até a 1h da manhã, todas as noites. Mesmo dormindo pouco, procurava fazer o melhor possível nos estudos. Assim, fiquei esgotado e simplesmente entrei em depressão.”

Essa situação é bastante comum e ocorre cada vez mais hoje em dia, principalmente com as meninas, porque quando entram na adolescência, têm um risco maior de cair em depressão do que os meninos. Faço muita consultoria com alunas de escolas particulares muito exigentes consigo mesmas em relação aos estudos e tento fazê-las compreender que, em longo prazo, podem estar tão cansadas e estressadas a ponto de ficarem deprimidas. Em Harvard, por exemplo, 80% das entrevistadas de uma pesquisa do jornal estudantil disseram que se sentem deprimidas no último ano da faculdade.

Então, a técnica da MT consegue aliviar as crianças e adolescentes do stress?

Dr. Stixrud: Acredito que ensinar as crianças a praticar o programa da Meditação Transcendental é o melhor que podemos fazer por elas, porque a MT pode ajudá-las a criar ambientes menos estressantes para normalizarem sua própria reação ao stress, a estabelecerem uma rotina mais ordenada, mais regular e, também, a experimentarem um nível profundo de felicidade, criatividade e energia.

Dr. William Stixrud, Ph.D., é professor adjunto no Centro Médico Nacional Infantil em Washington, D.C., e neuropsicólogo clínico e diretor da clínica William Stixrud e Associados em Silver Spring, no estado de Maryland, nos Estados Unidos. Seu foco é na prática de grupo, especializado em aprendizado, atenção e distúrbios emocionais e sociais.